Assembleia Geral da Sociedade Aguas Douro e Paiva

O edil paivense Gonçalo Rocha, assumiu ontem a presidência da Assembleia Geral da Sociedade Aguas Douro e Paiva, para o mandato 2017/ 2019, em lista aprovada por unanimidade, no decurso da primeira reunião daquele órgão deliberativo, agora que foi concretizada a reversão da empresa prometida no ano transacto pelo actual Governo, realizada na ETAR de Lever, numa cerimonia que foi aproveitada para a assinatura do Contrato de Concessão, e que contou com a presença do Ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, e dos Secretários de Estado do Ambiente e do Tesouro, para além dos autarcas dos municípios aderentes a este sistema multimunicipal de abastecimento.

qui 23 fev, Actualidade

A empresa Águas do Douro e Paiva, que o governo socialista reactivou, elegeu ontem em Assembleia Geral os novos corpos sociais, uma decisão que ocorre precisamente um ano depois, do Ministro do Ambiente ter anunciado que o anterior sistema multimunicipal de abastecimento seria reactivado, depois do anterior Governo o ter extinguido, voltando ao modelo de funcionamento de outrora, envolvendo a Águas de Portugal e os municípios.
Eduardo Gomes é o presidente do Conselho de Administração da Águas do Norte, que elegeu o socialista Gonçalo Rocha, presidente da Câmara Municipal de Castelo de Paiva, para presidir à Assembleia Geral e, para além do presidente, a administração é constituída por três vogais executivos: João Pedro Neves, da Administração dos Portos do Douro e Leixões, Joana Felício, vereadora da Câmara de Matosinhos, e António Borges, que renunciou ao lugar de deputado na Assembleia da República, sendo o autarca de Amarante, José Luís Gaspar, agora indicado como vogal não executivo.
No final da cerimónia em Lever, o edil paivense mostrou-se satisfeito com este desfecho, e sublinhou que o processo de reversão da Águas do Douro e Paiva representa uma grande vitória dos autarcas e da região, destacando o forte envolvimento do Ministro do Ambiente, que se empenhou activamente neste combate, mostrando-se sempre solidário com as reivindicações dos autarcas, concordando por isso, com a sua afirmação quando sublinhou que, esta fusão assumida pelo anterior Governo não passou de uma grande tolice, um erro tremendo e um esbulho para as autarquias.
Para Gonçalo Rocha, que nesta cerimónia se fez acompanhar do seu vice presidente António Rodrigues, este é um processo que fazia sentido, os sistemas foram agregados contra a vontade das autarquias e ainda bem que retomam a sua autonomia, sublinhando o edil que, é uma decisão justa e o município de Castelo de Paiva ganhou mais este desafio e, justamente, voltou a ter uma representatividade forte no seio da empresa Águas do Douro e Paiva, congratulando-se pelo facto de, mais uma vez, o Governo cumprir no respeito e na defesa do interesse público, percebendo as dificuldades das autarquias e assumindo o abastecimento público como uma importante prioridade.
A atribuição agora realizada pelo Estado português às empresas Águas do Douro e Paiva e SimDouro, da concessão da gestão e exploração dos sistemas multimunicipais de abastecimento de água e saneamento, mereceu por parte do Ministro do Ambiente, uma abordagem mais detalhada, evidenciando que estas empresas têm que se mostrar dinâmicas ao desenvolver a sua actividade e evidenciar a sua forte componente regional, ao mesmo tempo que sublinhou a responsabilidade dos autarcas e a solidariedade regional, na perspectiva do sucesso e da eficácia que se deseja nesta actividade.
Recorde-se que, a empresa Águas do Douro e Paiva desenvolve actividades de captação, tratamento e abastecimento de água para consumo público, servindo 20 municípios que abrangem 1,7 milhões de habitantes numa área de 2.715 quilómetros quadrados, sendo que, o investimento previsto para os próximos anos destina-se fundamentalmente a obras de reabilitação, substituição, melhoria de operacionalidade e aumento de fiabilidade do sistema, ao passo que, a SimDouro desenvolve actividades de recolha, tratamento e rejeição final das águas residuais urbanas provenientes de 519 mil habitantes equivalentes, abrangendo uma área de 1300 quilómetros quadrados.

mais notícias
Contadores Inteligentes de EletricidadeGIPFarmáciasBombeirosMunicípioVeterinárioPiscinaContactos
Desenvolvimento
Castelo de Paiva 2013
Todos os direitos reservados