21º Encontro de Cantares de Janeiras

De regresso ao espaço do Auditório Municipal, que esteve a lotado, realizou-se na noite do passado sábado, a 21ª edição do Encontro de Cantares das Janeiras, uma iniciativa promovida pelo Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Castelo de Paiva, que este ano voltou a ter uma forte adesão, contando com a participação de 13 grupos locais, entre associações, grupos folclóricos, bandas de música, grupos corais e escolas de música.

 

seg 14 jan, Cultura e Lazer

 

O cenário este ano voltou a ser diferente, e numa terra de músicos e de musica, este continua a ser um evento cultural, que todos os anos renova e motiva sempre grande entusiasmo e alegria, e como sempre autarquia paivense pretendeu juntar os grupos e associações que, no território concelhio, mantêm viva esta secular tradição de cantar os reis, promovendo este encontro anual,

Para além do presidente da edilidade, Gonçalo Rocha, marcaram também presença o presidente da Assembleia Municipal, Gouveia Coelho, o Vice – Presidente da autarquia, António Rodrigues, o Vereador da Cultura, José Carvalho, bem como o os vereadores José Rocha e Vanessa Pereira e, destacando-se ainda, a presença de diversos autarcas do concelho e vários dirigentes associativos.

O espectáculo deste ano, apresentado por Ricardo Ramalho, contou com as presenças de 13 grupos, nomeadamente a Academia de Musica de Castelo de Paiva, Banda Marcial de Bairros, Tuna da Universidade Sénior de Castelo de Paiva, Grupo As Camponesas de Real, Grupo “ Os Amigos da Sexta “, Associação Aplauso Padrão e Amigos – Orquestra Atípica, Escola de Música de Sardoura e Amigos, Grupo das Concertinas Casa do Povo da Raiva, Rancho Folclórico de Bairros, Rancho Folclórico de Nossa Senhora das Amoras, Rancho Folclórico de S. Martinho, Grupo de Danças e Cantares do Paraíso e o Rancho Folclórico de Castelo de Paiva, todos imbuídos no espírito festivo que se atravessa, procurando retratar a tradição de outros tempos.

José Carvalho, Vereador da Cultura, congratulou-se com a iniciativa, mostrando-se satisfeito com mais este sucesso cultural, recordando depois, a época em que se cantavam os reis ou as janeiras nas terras do interior, realçando o espírito de solidariedade que sempre existia entre todos no seio da comunidade, numa manifestação bem popular que continua a levar a tradição e a cultura de porta a porta.

Segundo disse o responsável municipal, “ trata-se de uma forma genuína de reviver velhas tradições que, apesar das mudanças evidenciadas na sociedade actual, ainda se mantém activa neste concelho, e na verdade, continuamos contentes que haja gente e colectividades interessadas em manter este espírito”, evidenciando ainda a propósito, o orgulho de constatar o envolvimento das associações neste evento, traduzido numa grande jornada cultural.

Também satisfeito com o êxito desta iniciativa cultural, estava Gonçalo Rocha, presidente da autarquia, que também se congratulou com a excelente adesão conseguida, com a continuidade deste secular costume de cantar os reis, na sua opinião, um testemunho cultural que vai passando de geração em geração através da representação de grupos cada vez mais diversificados, “ onde para além de se estimular a defesa do património cultural, se desperta os valores da etnografia, concretizados na antiguidade dos cantares, na riqueza dos trajes regionais e na adequação dos instrumentos utilizados, na musicalidade e no bom nível das interpretações, tudo evidenciado num espírito de solidariedade e fraternidade que interessa preservar, protagonizado num convívio saudável, uma raiz que nos identifica com a nossa terra, os costumes e as jornadas da sociedade ”.

Para o edil paivense, esta iniciativa continua a ser assumida como uma reprodução e um percurso de um passado recente, que nos permite a orientação de encontro às necessidades sócio culturais da população, que queremos continuar a respeitar, garantir, valorizar, e preservar, com carinho e uma simbologia especial para a nossa terra.

Deixando uma palavra de esperança a todos os paivenses, ao seu valor e à sua força, Gonçalo Rocha evidenciou a certeza de manter, como principal objectivo da sua governação, total empenhamento nas melhoria das condições de vida, na justiça social, no trabalho e no progresso do território, a todos deixando votos de feliz ano novo.

Enquadrando as tradições numa simbologia especial para o concelho, o autarca de Castelo de Paiva falou ainda, nas diversas iniciativas realizadas no período de Natal, nomeadamente a Decoração Natalícia das Rotundas do concelho, Concurso de Montras, o Parque das Árvores e o evento “Sinais de Natal “, eventos que voltaram a ser um sucesso e que registaram boa adesão, destacando a participação e colaboração da Associação Comercial e Industrial, da Academia de Musica de Castelo de Paiva e dos Grupos Corais do concelho.

Ao recordar os primórdios da iniciativa, recuperando velhas cantigas e se dinamizando a música popular portuguesa, o edil paivense Gonçalo Rocha deixou, neste início de ano, uma palavra de esperança à comunidade e prestou homenagem a todos os que, ao longo dos tempos, dão vida a esta tradição, desejando que, no aspecto cultural, a dinamização destas iniciativas possa ter continuidade, prestigiando o concelho e reforçando o movimento associativo, formulando votos para que o novo ano, apesar dos tempos difíceis que se vive, represente para todos Paivenses e para o concelho, a efectivação de todos os anseios e a realização de todos os ideais de justiça, de trabalho, de tolerância, de solidariedade, de desenvolvimento e progresso social.

Durante a iniciativa, foram entregues os prémios do X Concurso de Decoração Natalícia de Rotundas, levado a efeito pela edilidade paivense em parceria com a Associação Comercial e Industrial de Castelo de Paiva, que contemplou a Rotunda da Cruz da Carreira ( Centro Social de SM de Sardoura ), com o 1º prémio, a Rotunda do Anjo ( AFV Tragédia de Entre os Rios ) com o 2º lugar, e a Rotunda do Crasto – Castelo ( Grupo de Jovens Promessa ) como terceira classificada.

No que diz respeito ao Concurso Montras de Natal, o Café Central arrebatou o primeiro prémio, ficando a Casa Jovi em segundo lugar nesta iniciativa, enquanto o terceiro classificado foi atribuído à empresa HD Graphics, de Sobrado.

Entretanto, e no âmbito do Projecto “MICAS”, a ARPIP – Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos de Pedorido vai promover uma actividade “ Cantar das Janeiras “, que terá lugar na tarde de amanhã, nas instalações do Auditório Municipal, cabendo a cada instituição a apresentação de dois temas alusivos a esta secular tradição, sendo que, para além dos cânticos apresentados pelas IPSS, haverá a entrega de certificados de participação com a presença de responsáveis municipais.

Mais fotos em:
https://www.facebook.com/pg/cmcastelodepaiva/photos/?tab=album&album_id=2537650762929190

mais notícias
Contadores Inteligentes de EletricidadeGIPFarmáciasBombeirosMunicípioVeterinárioContactosPiscina
Desenvolvimento
Castelo de Paiva 2013
Todos os direitos reservados