Estudo de Viabilidade da Variante à EN 222 já avançou

A Infraestruturas de Portugal S.A. acaba de publicar no Diário da República o Anúncio de Procedimento para o Concurso Público para a execução do “ Estudo de Viabilidade “ do troço em falta da Variante à EN 222 / A32 ( Nó de Canedo ), uma noticia que deixa Gonçalo Rocha, presidente da Câmara Municipal de Castelo de Paiva, bastante satisfeito, considerando um passo importante para a concretização deste grande anseio de todos os paivenses, esperando mesmo que este seja o passo inicial para o arranque definitivo de uma obra fundamental para o concelho e para a dinamização económica que se deseja para esta terra duriense.


ter 13 dez, Informação Oficial

O contrato de aquisição de serviços agora anunciado, tem um valor base de 130 mil euros, com prazo de execução de 180 dias a contar da data da celebração e o edil paivense congratula-se pelo compromisso honrado pelo Ministro das Infraestruturas, Pedro Marques e dos Secretários de Estado, Guilherme de Oliveira Martins e Pedro Nuno Santos, sendo que, nos próximos dias, vão continuar as reunião com a empresa Infraestruturas de Portugal para definir o traçado deste troço de pouco mais de 9 quilómetros desde a Zona Industrial de Lavagueiras, na Póvoa, em Pedorido, até ao nó da A32 em Canedo ( Feira ).
Congratulando-se com esta decisão, o autarca paivense garante que tudo fará para que esta ligação rápida ao litoral "seja em breve uma realidade", referindo que, no inicio do próximo ano, haverá novidades positivas quanto ao avanço deste processo, daí a vontade férrea de continuar empenhado neste processo que se apresenta como decisivo para o desenvolvimento do concelho de Castelo de Paiva e para a economia local.
Recorde-se que, desde que foi eleito, Gonçalo Rocha tem exigido que o Governo avance para a conclusão da Variante à EN 222, num troço de escassos 9 km, que assegurará a ligação desde a Zona Industrial de Lavagueiras, em Pedorido, à A32 e Santa Maria da Feira, lamentando que não haja ainda projecto realizado para terminar aquela acessibilidade, que tem um troço concluído há vários anos e esbarra no limite de fronteira, na zona do Couto Mineiro do Pejão.
O presidente da CM de Castelo de Paiva, lembra a propósito, que a Assembleia da República reconheceu já a extraordinária importância que tem para o Município de Castelo de Paiva a ligação à rede nacional de auto-estradas, dos importantíssimos pólos industriais existentes no concelho, um situado na zona poente – a Zona Industrial de Lavagueiras – e o outro na zona nascente – a Zona Industrial de Felgueiras, que ficam nas extremidades do troço já existente da Variante à EN 222 e que, albergam uma significativa parte da centena de empresas da indústria transformadora que existe no concelho, com cerca de 1300 postos de trabalho, com uma forte componente exportadora (cerca de 35 milhões de euros ano) e com um elevado potencial de crescimento, assim lhes sejam dadas melhores condições como as que seriam proporcionadas pela conclusão da Variante à EN 222.
O autarca paivense destaca ainda que, “ é também reconhecida a importância desta obra para a redução significativa do tempo de acesso aos portos de Aveiro e Leixões ou ao Aeroporto Sá Carneiro e para impulsionar o arranque e desenvolvimento da já projectada Área de Acolhimento Empresarial da Cruz da Carreira (AAE) e ainda, para o estabelecimento ou expansão dos negócios e industrias, de que já se conhecem potenciais interessados, com um natural aumento da produtividade do concelho e, por consequência do País “.

mais notícias
GIPFarmáciasBombeirosMunicípioVeterinárioContactos
Desenvolvimento
Castelo de Paiva 2013
Todos os direitos reservados